Notícias

Aumenta a inclusão de nomes sociais de estudantes nas escolas paulistas
06/01/2017

 

Esse direito é garantido pelo Estado às transexuais e travestis que estudam na rede pública estadual

 

Aumentou o número de estudantes travestis e transexuais que solicitaram a inclusão do nome social no cadastro das escolas da rede estadual paulista. De acordo com levantamento da Secretaria da Educação, o número é 51% superior em 2016 ao verificado em 2015. O número de estudantes que solicitam o cadastro no período passou de 182 para 358.

A adoção do nome social é um direito garantido pelo Estado a alunos e servidores da rede estadual de ensino. No ano passado, 17 profissionais também fizeram a mesma solicitação.

Para fazer a solicitação, o estudante deve fazer um requerimento à escola, que tem o prazo de sete dias para incluir o nome social no cadastro de alunos. O nome social é incluído na lista de chamada, carteirinha de estudante e boletim. Nos documentos pessoais, continua constando o nome de batismo do estudante.

O mesmo direito é garantido ao profissional que deve fazer o pedido diretamente na escola ou diretoria de ensino que atuam.

Entre os 358 estudantes que solicitaram o cadastro do nome social em 2016, 77% são mulheres travestis e transexuais e os outros 23% homens transexuais, 66% estão matriculados na Educação de Jovens e Adultos e 34% nos ensinos Fundamental e Médio. Desse total, 23% são menores de idade.

Do Portal do Governo do Estado