Notícias

Sabesp aperta o cerco contra fraudes no abastecimento de água
10/1/2017

 

Operação em 2016 apurou desvios equivalentes ao consumo de uma cidade de 385 mil habitantes

 

A Sabesp realiza um serviço de inteligência e operação de campo para identificar casos de furto de água. Por meio desse trabalho, a empresa de economia mista, ligada ao Governo do Estado de São Paulo, identificou, de janeiro a setembro do ano passado, 19.162 casos que envolvem o desvio de 2,9 bilhões de litros de água, o suficiente para abastecer durante um mês uma cidade de 385 mil habitantes, como Carapicuíba, na Região Metropolitana de São Paulo.

A criatividade dos fraudadores de água, mais conhecidos como "gatos", inclui a utilização de veículos com identificação da Sabesp, como aconteceu em um caso em que um criminoso, já com passagem anterior pela prática do mesmo crime, foi detido em operação conjunta com a Polícia Civil.

A prisão ocorreu na casa do fraudador, onde, além do veículo, foram apreendidos equipamentos como hidrômetros, dispositivos magnéticos para interferir na medição de consumo de água, cones e lacres normalmente utilizados pela Sabesp, que foram furtados da empresa, segundo a investigação policial.

As fraudes são cometidas em residências, estabelecimentos comerciais, imóveis de uso misto e indústrias e até em centro religioso, como aconteceu recentemente. O encanamento era ligado diretamente, sem o uso de hidrômetro, aos canos que abasteciam o imóvel. A Sabesp calcula que foram desviados nessa ocasião 748 mil litros de água, o suficiente para abastecer 230 pessoas durante um mês.

Participaram das operações de combate a fraudes 60 equipes responsáveis por 186 mil vistorias em 2016, ou 681 operações por dia, entre janeiro a setembro, realizadas na capital, Grande São Paulo e municípios da região de Bragança Paulista. A Sabesp recebeu 47 mil chamadas denunciando fraudes pelo Disque-Denúncia (186) e Central de Atendimento Telefônico da empresa (195), no período.

Do total de fraudes identificadas em 2016, 16,5 mil estavam relacionadas a desvios de água em residências, 1.860 em estabelecimentos comerciais e outras 742 em imóveis de uso misto e industriais. As ocorrências mais comuns são as de violação de hidrômetros (58%) e ligações clandestinas (42%).

A Sabesp esclarece que é importante o morador estar atento à ação de fraudadores, exigindo sempre dos funcionários das equipes, que devem estar devidamente uniformizados, a apresentação do crachá de identificação e de ordem de serviço com timbre próprio da empresa.

Em caso de suspeita, a Sabesp orienta o consumidor para entrar em contato pelos telefones 0800 011 9911, na Região Metropolitana de São Paulo, ou 0800 055 0195, no litoral e interior do Estado, ou ainda acionar a Polícia.

O crime de desvio de água tratada pode ser enquadrado no Artigo 155 do Código Penal, com penas de um a quatro anos de reclusão. A pena pode ser dobrada, para até oito anos de prisão, quando o furto ocorre com a participação de duas ou mais pessoas.

Do Portal do Governo do Estado