Notícias

#SP463: Museus comemoram aniversário de São Paulo
20/01/2017

 

Para celebrar os 463 anos da cidade, no próximo dia 25, instituições oferecem diversas atrações à população

 

A cidade de São Paulo, rica em restaurantes, casas de espetáculos, cinemas e teatros, e em atrações artísticas e culturais de diversos gêneros, também têm um grande número de museus dedicados a temas que vão do futebol – a arte britânica que o Brasil popularizou e tomou como sua – ao estudo dos animais, das ciências e tecnologia, ao mundo das comunicações e das artes plásticas.

Confira abaixo alguns dos museus existentes e a programação para o próximo 25 de janeiro, aniversário de 463 anos de São Paulo.

Museu Afro Brasil

Inaugurado em 2004, o Museu Afro Brasil está localizado no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, no Parque do Ibirapuera. Possui mais de 6 mil obras, entre pinturas, gravuras, fotografias e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre os Séculos 18 até os dias de hoje. Parte do acervo disposto em 11 mil m2 é exposto em exposição de longa duração. O Museu Afro Brasil também realiza exposições temporárias e dispõe de um auditório e de uma biblioteca especializada. Os temas abordados são a religião, o trabalho, a arte, a escravidão, assim como diversos aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros. Uma oportunidade para conferir a grande contribuição da cultura afro e do negro para a formação da identidade cultural brasileira. O fundador do Museu Afro Brasil é o premiado artista plástico Emanoel de Araujo, que também dirigiu o Museu Pinacoteca. Para o aniversário da cidade, em 25 de janeiro, o Museu Afro Brasil vai promover as exposições “Visões de um Poema Sujo”, baseada na obra do poeta Ferreira Gullar, morto recentemente, e “Movimento Constante – Esculturas de Paulo Otávio”, designer gráfico e artista plástico paulista (confira aqui outros detalhes da programação).

Museu do Futebol

Emoção, história e diversão. Por meio desses três temas, o Museu do Futebol conta a história do esporte bretão e de seu impacto, de sua prática na vida das pessoas, as copas do mundo, objetos e atletas famosos, depoimentos, narrações de jogos, cantos de torcida e até o sentimento expresso na hora da derrota. Para percorrer a exposição permanente, o visitante passa por 16 etapas. Cada sala mistura os elementos históricos e emotivos do futebol. O Museu também promove exposições temáticas temporárias e virtuais (clique aqui). No dia 25, o Museu do Futebol promove a contação de história “São Paulo de Todos”, que reúne música, gastronomia e expressões do futebol que formam as várias faces e contrastes da cidade.

Museu Florestal Octávio Vechi

A cidade que mais cresce no mundo, como ficou conhecida São Paulo nos anos de 1950, se estende por longos limites e assume características diferentes conforme a região. Uma boa dica para o feriado de 25 de janeiro, aniversário de 463 anos da capital paulista, é se afastar do centro e ir em direção à zona Norte da Cidade, ao Horto Florestal, atual Parque Estadual Alberto Löfgren. Área de conservação ambiental com 851 mil hectares de florestas naturais de Mata Atlântica, estações experimentais, reservas e parques estaduais. É lá que está localizado o Instituto Florestal, instituição criada em 1886, como centro de pesquisas para proteção do patrimônio natural do Estado, e o Museu Florestal Octávio Vechi, criado em 1931, e projetado especialmente para receber o acervo do instituto, composto por um mostruário de madeiras e sementes, peças das escolas de xilografia, charão (laca japonesa), marcenaria, aquarelas e um grande painel de pintura a óleo de Helios Seelinger que ilustra a história de São Paulo, entre outras obras. A área florestal atrai grande número de aves, como tucanos, maritacas, garças e mergulhões, e também animais silvestres, como capivaras, bugios e macacos-prego. Um ponto ao lado do museu marca os limites do Trópico de Capricórnio, linha geográfica imaginária abaixo da linha do Equador. O local também abriga o Palácio de Verão do Governador.

Museu da Casa Brasileira

Criado em 1970 como Museu de Mobiliário Artístico e Histórico Brasileiro e localizado e um solar em estilo neo-clássico construído em 1942 e 1945, situado em frente a uma das mais movimentadas e sofisticadas avenidas da cidade de São Paulo, a Avenida Faria Lima, o Museu da Casa Brasileira (MCB) se dedica às questões da moradia brasileira pelo viés da arquitetura e do design. No dia 25 de janeiro, o MCB vai promover a “Oficina das Calçadas”, com a artista Mirthes dos Santos, criadora do modelo em preto e branco que forma o mapa do Estado de São Paulo. Os participantes serão convidados a produzir modelos em material do tipo MDF (chapa de madeira). O projeto escolhido por votação vai ser produzido em ladrilho hidráulico (as inscrições podem ser feitas pelo e-mail agendamento@mcb.org.br.

Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de São Paulo é referência nacional, em seu gênero. Foi criado em 28 de outubro de 1969, por meio de um convênio entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo. Parte do acervo do museu começou a ser formado a partir da coleção de Dom Duarte Leopoldo Silva, primeiro arcebispo de São Paulo, que a partir de 1907 começou a recolher imagens sacras de igrejas e pequenas capelas de fazendas que foram demolidas, a partir da proclamação da República, ampliado a partir da década de 1970, por seus organizadores. Para o aniversário de São Paulo, o Museu de Arte Sacra irá construir uma horta comunitária em sua parte externa e convidar o público para refletir sobre o desenvolvimento sustentável da cidade. A atividade acontecerá nos dias 25 e 28 de janeiro, às 15h. O visitante também pode conferir a exposição fotográfica “Filhos de Deus”, que reúne 22 registros do artista Daniel Taveira, sobre o mundo em suas diversas faces (raças, culturas, orientações sexuais, cores e situação social).

Memorial da Resistência

O Museu da Resistência é vinculado à Pinacoteca do Estado com enfoque temático sobre resistência, controle político e repressão, voltado à reflexão a respeito de ações que promovam a cidadania, a valorização da democracia e a promoção dos direitos humanos. A mostra “Carta Aberta – correspondência na prisão”, em exibição, apresenta, por meio de cartas, como foi a comunicação entre os presos políticos e seus familiares e amigos, nos anos de repressão militar no Brasil. No dia 25, o espaço promove atividade com a contação de história “O edifício e suas memórias”, no dia 25, às 11h. Gratuito.

Museu da Imigração

Reúne o acervo da Hospedaria do Imigrante, com documentos sobre o registro de imigrantes estrangeiros, a partir do final Século 19 e da migração de brasileiros, na década de 1930, vindos de diversos estados, e que foram hospedados no local. O público poderá participar da visita fotográfica, no dia 25, das 11h às 12h30, captando diversos ângulos da antiga Hospedaria de Imigrantes e refletindo sobre passado, história e fotografia, utilizando o próprio equipamento (smartphones ou câmeras fotográficas). A atividade é para crianças a partir de 12 anos. No mesmo dia, às 15h, haverá a apresentação teatral “Pequenas Histórias”, que propõe a realização de seis monólogos compilados em uma única apresentação comemorativa, usando diferentes ambientes do Museu como Cenário. O ingresso custa R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia).

Museu da Imagem e do Som (MIS-SP)
O acervo do Museu da Imagem e do Som (MIS) conta com mais de 200 mil itens, entre fotografias, filmes, vídeos e cartazes. É um dos museus mais visitados de São Paulo, muito procurado pela programação cultural diversificada voltada para diferentes públicos. No dia 25, o MIS promove mais uma edição do Conexão Cultural São Paulo, das 12h às 20h. O evento traz exposições, arte urbana, música e gastronomia para celebrar o aniversário da cidade, em diversos espaços do Museu, com entrada gratuita.

#SP463

Do Portal do Governo do Estado