Notícias

Butantan recebe verba para modernizar produção de vacinas
08/02/2017

 

Instituto de pesquisas vai aplicar R$ 54 milhões para aquisição de equipamentos e modernização do processo produtivo de suas fábricas

 

Em cerimônia realizada nesta quarta-feira (8), o governador Geraldo Alckmin anunciou a liberação de R$ 54 milhões em recursos do Ministério da Saúde para a compra de equipamentos e modernização das fábricas do Instituto Butantan, responsáveis pela produção de vacinas de difteria, tétano, coqueluche e hepatite B. O ato contou com a participação do Ministro da Saúde, Ricardo Barros, e do secretario de Estado da Saúde, David Uip.

A verba será aplicada na aquisição dos equipamentos para a primeira fase de renovação do sistema de produção do instituto, que inclui a modernização das estruturas físicas e do sistema de água, ar-condicionado, ar comprimido e vapor das fábricas. Alckmin agradeceu o ministro da Saúde pela liberação dos recursos. “Se nós olharmos o avanço na expectativa de vida da nossa população, a gente vê que água tratada, vacina e antibiótico foi o que deu esse salto maravilhoso, para que as pessoas vivam mais e melhor”, disse o governador.

Inovação

O Instituto Butantan é um dos maiores centros de pesquisa biomédica do mundo. Quando estiverem concluídas as reformas, o instituto estará habilitado a produzir a “pertussislow”, vacina de baixa toxidade. Trata-se de uma novidade mundial, em se tratando da capacidade dessa vacina celular, que apresenta ausência de reações adversas, características da pertussi acelular.

A Europa e os Estados Unidos utilizam a vacina pertussi acelular para vacinação de crianças e adultos, que se tem mostrado ineficaz a longo prazo. No Brasil, a pertussi acelular é utilizada para vacinar as crianças. Os adultos tomam a vacina pertussi celular. A pertussilow vai permitir a vacinação para todas as faixas etárias e é aguardada com ansiedade devido ao ressurgimento dos casos de coqueluche nos Estados Unidos e Europa, em decorrência da intensificação do atual movimento de imigração.

Com a retomada da produção de vacinas, interrompida provisoriamente em decorrência do processo de modernização, o Instituto Butantan dará prosseguimento ao projeto de fabricação de uma vacina nacional polivalente, que terá componentes produzidos pelo próprio instituto e pela fundação Fiocruz. A vacina terá capacidade para imunizar a população contra a difteria, teto, coqueluche (com o componente da pertussi) e hepatite B.

Do Portal do Governo do Estado