Notícias

Governo do Estado inicia nova obra de desassoreamento do Tietê
01/03/2017

 

Iniciativa dá continuidade ao trabalho de aprofundamento do leito do rio para reduzir risco de inundações na capital e região metropolitana

 

O Governo do Estado vai investir R$ 55,9 milhões nas obras de desassoreamento de mais um trecho do rio Tietê, iniciadas nesta quarta-feira (1), entre a barragem da Penha e o lado da barragem Edgard de Souza, na região metropolitana de São Paulo. A estimava é retirar 500 mil m³ de sedimentos, como areia, argila e materiais inertes, e lixo depositado no fundo do canal.

O governador Geraldo Alckmin esteve no local das obras que irão beneficiar os municípios de São Paulo, Osasco, Carapicuíba, Barueri e Santana do Parnaíba. “O rio aprofundado ajuda a macrodrenagem de São Paulo, porque o Tietê é o grande ralo de São Paulo. Todos os rios confluem para ele, então, melhora o rio Aricanduva, o Cabuçu, o Mandaqui, enfim, melhora toda a macrodrenagem”, afirmou.

O trabalho está orçado em R$ 55,9 milhões. O prazo para conclusão da obra, segundo o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), responsável pela obra, é estimado em 12 meses.

Alckmin disse que o desassoreamento do Tietê também está sendo feito em outros trechos do rio. “De Santana do Parnaíba até a barragem da Penha, a gente vem fazendo com frequência esse trabalho. Esse trecho até Mogi eu acho que faz uns 15 anos que não é assoreado. Nós vamos manter todo o Tietê limpo, retirando o material assoreado para deixar o rio mais aprofundado e com isso ajudar na macrodrenagem da região metropolitana”.

Outras obras

Em outro trecho do Tietê, de 44,2 quilômetros, entre o córrego Três Pontes, localizado na divisa de São Paulo com o município de Itaquaquecetuba, e o córrego do Ipiranga, em Mogi das Cruzes, o DAEE espera remover 343 m³ de sedimentos depositados. Serão investidos R$ 37,7 milhões nas obras iniciadas em 20 de agosto do ano passado com conclusão prevista para fevereiro de 2018.

As obras vão beneficiar os municípios de Itaquaquecetuba, Poá, Suzano e Mogi das Cruzes. O trabalho realizado em etapas inclui a remoção de pedras e rochas para favorecer o escoamento do rio.

Um dos trechos já concluídos é o do Estaleiro-foz do córrego Ipiranga, em Mogi das Cruzes. Já foram desassoreados cerca de 900 metros com a retirada de 46 mil m³ de sedimentos e 450 m³ de rochas. Os equipamentos estão sendo transferidos para o trecho seguinte, de 2,8 quilômetros, do Estaleiro ao Parque Leon Feffer, que inclui a foz do córrego Matadouro e Ribeirão Canudos.

Lote 5

Há ainda obras do DAEE sendo executadas na montante do canal de adução da Sabesp, em trecho de 5 quilômetros do rio Tietê e mais 5 km do rio Paraitinga (a partir da foz com o rio Tietê), nos municípios de Biritiba Mirim e Salesópolis. No trecho denominado Lote 5, deverão ser retirados 61,5 mil m³ de sedimentos. O investimento é de R$ 6,5 milhões e já foram executados 25% das obras.

O próximo trecho a ser desassoreado se localiza entre os municípios de São Paulo e Itaquaquecetuba e compreende mais 25 km do rio Tietê, que vai da Barragem da Penha à foz do córrego Três Pontes. A contratação da empresa que efetuará os trabalhos está para ser concluída.

Serão removidos 500 mil m³ de sedimentos. O investimento é de cerca de R$ 40 milhões e as obras, que se iniciam nos próximos 30 dias, devem estar concluídas em 10 meses.

Do Portal do Governo do Estado