Notícias

Dia do bibliotecário: compartilhando livros e conhecimento
12/03/2017

 

Para celebrar este importante profissional, preparamos dicas sobre cuidados a serem tomados com os livros

 

Neste domingo (12) é comemorado o Dia do Bibliotecário, um profissional que muitas vezes não tem o devido reconhecimento ou visibilidade que sua atividade merece, embora seja uma espécie de guardião de um tesouro de valor inestimável para toda a população: os livros.

Sua função é basicamente zelar pelo acervo das bibliotecas e ajudar os usuários a encontrar o material que buscam, mesmo que o conteúdo desejado não esteja necessariamente em livros. É justamente aí que reside sua importância, em entender o que o cidadão, ou sócios, necessita e ensiná-lo a encontrar.

“É com base nas necessidades dos sócios que gerenciamos a construção do acervo. Nossa função primordial é incentivar a leitura, inclusive como forma de lazer. O grande papel é transcender o suporte e pensar no conteúdo”, diz Luciana Marques, gerente de Núcleo de Coleções e Tratamento Técnico da Biblioteca de São Paulo (BSP), um dos principais pontos de leitura e pesquisa no Estado.

Inaugurada em fevereiro de 2010 dentro do Parque da Juventude, na Zona Norte da capital, a BSP foi concebida para ser um espaço arrojado, com projeto inovador de inclusão social por meio da leitura. Além disso, oferece conteúdo em formatos variados, como livros tradicionais ou em formatos acessíveis (braille, audiolivro), DVDs, CDs, além de jogos.

Segundo Luciana, o acervo vai sendo formado de acordo com as demandas dos sócios, como são chamados os usuários que se cadastram e passam a ter acesso livre aos conteúdos. Entre as principais buscas estão os lançamentos e os “assuntos do momento”, como ela classifica os temas em alta. “Política tem sido um tema bastante procurado, principalmente por causa da situação do país. Mas para ler sobre política, é preciso também ler sobre história, do Brasil e do mundo”, explica a bibliotecária.

Ela destaca ainda como temas com grande procura fantasia e ficção, além de literatura erótica: “Esse tema ganhou destaque por conta do filme ‘50 Tons de Cinza’, é comum a procura dos sócios acompanhar o movimento do cinema”.

Atendendo ao pedido da reportagem do Portal do Governo do Estado, Luciana listou alguns cuidados fundamentais a serem tomados para conservar os livros em casa ou qualquer outro local. Em primeiro lugar, ela enfatiza a importância de tratar o livro como tratamos qualquer objeto de que gostamos, ou seja, com cuidado e zelo.

Sobre a forma de guardar, ela diz que pode ser deitado ou em pé, mas a segunda opção não é recomendada para livros de capa dura: “Com o tempo, devido ao peso, é provável que a capa acabe separando do miolo”. Outra recomendação é controlar a umidade, ou seja, não deixar os livros em local sujeito a umidade, como o banheiro, por exemplo.

Também é importante ficar atento ao excesso de luminosidade, evitando deixar em locais que recebem luz solar direta. Fora isso, é sempre bom tirar o pó, usando de preferência um espanador para não agredir o material, e nunca utilizar produtos de limpeza, que podem danificar a celulose. Vale lembrar também para não usar o livro como base para copos ou cinzeiros, que podem estragar e molhar o material.

“Mas a principal recomendação é estimular o uso do livro, ou seja, emprestar e incentivar a leitura a outras pessoas, especialmente crianças e idosos. Livro fechado na estante é apenas um enfeite. Todo mundo tem alguém para dividir a informação. Todo mundo pode ser um pouco bibliotecário”, finaliza Luciana.

SERVIÇO
Biblioteca de São Paulo
Parque da Juventude – Av. Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana, São Paulo/SP
CEP 02030-100 (ao lado da Estação Carandiru do Metrô)
Tel.: 11 2089 0800
De terça a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30 (fecha nos dias 24, 25 e 31 de dezembro, 1º de janeiro e terça de Carnaval)

Do Portal do Governo do Estado