Notícias

SP terá maratona de inovação e tecnologia para mobilidade urbana
13/03/2017

 

Objetivo da 1ª Hackatona Metropolitana é desenvolver, em 34 horas, propostas de solução para um problema ligado ao transporte público

 

Quem quiser participar da 1ª Hackatona Metropolitana EMTU-Metra dedicada ao transporte público metropolitano pode se inscrever até a próxima quarta-feira (15).

O evento será uma atividade intensiva em que programadores, designers e técnicos da área de inovação e tecnologia vão se reunir para desenvolver, em 34 horas ininterruptas, uma solução ou proposta de solução para um problema específico de mobilidade.

O evento, que terá como tema “O Transporte Público Sustentável e Acessível Como Centro das Soluções de Mobilidade Multimodal”, tem o objetivo de incentivar a criação de soluções inovadoras para questões relacionadas ao cotidiano do transporte público metropolitano. No total, já foram realizadas 25 hackatonas pelo mundo.

O grupo vencedor escolherá um dos integrantes para participar da Hackatona mundial, que acontecerá durante o Congresso Mundial da UITP, entre os dias 15 e 17 de maio, na cidade de Montreal, no Canadá.

Sobre o evento

Nos dias 18 e 19 de março, a sede da EMTU, em São Bernardo do Campo, vai receber a maratona inédita no Brasil. As inscrições devem ser realizadas no formulário on-line, no site da EMTU e da Metra. O regulamento completo está disponível aqui.

Profissionais das duas empresas serão os mentores das equipes no evento, realizando também um trabalho preparatório para fornecer conteúdo introdutório e auxiliar no manuseio dos dados. Essa interação proporcionará uma troca de experiências entre pessoas especializadas em transporte público e a visão de jovens de fora do segmento.

Os três semifinalistas serão escolhidos por uma comissão de profissionais da EMTU e da Metra e apresentarão suas propostas em 23 de março, durante a Semana UITP América Latina, que acontecerá no Centro Britânico Brasileiro, na capital paulista.

As três equipes já terão um prêmio antecipado com a criação de uma incubadora (startup) por um período de até seis meses. Será permitido aos integrantes darem prosseguimento às ideias apresentadas dentro de um ambiente com a infraestrutura necessária a ser disponibilizada por técnicos da EMTU.

Do Portal do Governo do Estado