Notícias

Denarc apresenta balanço da megaoperação na Cracolândia
23/05/2017

 

Deflagrada no domingo (21), a ação na região da Nova Luz teve 53 pessoas detidas, além de armas e drogas apreendidas

 

O Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc) divulgou, nesta segunda-feira (22), o balanço da megaoperação realizada na Cracolândia, no centro de São Paulo. O levantamento foi apresentado pelo diretor do Denarc, Ruy Ferraz Fontes.

Deflagrada pela Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar, a ação teve 53 pessoas detidas. O objetivo da operação deste domingo (21) era sufocar o tráfico de drogas na região da Nova Luz. Com isso, o comércio que era praticado foi eliminado do quadrilátero principal da área.

Na tarde desta segunda-feira (22), o secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, compareceu ao Denarc para saudar os agentes que comandaram a iniciativa. “Estou aqui para parabenizar as nossas forças, as polícias Civil e Militar, pelo excelente trabalho. Um trabalho extremamente bem planejado, que fez com que tivéssemos uma operação bem sucedida, sem nenhum dano colateral grave em relação à integridade física de qualquer um dos envolvidos, sejam os usuários de entorpecentes, os traficantes ou os policiais que participaram da ação”, ressaltou o secretário da Segurança Pública.

Prisões

Dos 53 detidos, 48 eram traficantes, dois foram detidos pela Polícia Militar por roubarem uma padaria e três são adolescentes que foram apreendidos também por tráfico. “O objetivo principal era atingir o escalão, os atacadistas – que vinham abaixo do escalão que administrava a distribuição de drogas na região – e os varejistas”, explicou o diretor do Denarc, Ruy Ferraz Fontes.

Segundo o delegado, 80% dos presos integram uma facção criminosa e dois deles eram os líderes do tráfico. O representante do Denarc também detalhou que as investigações começaram em outubro, um mês após outra operação realizada no local, e contaram com a participação de um policial civil infiltrado, que filmou os varejistas por cerca de 30 dias.

Além das prisões, foram apreendidos 12,3 kg de crack, 6,5 kg de maconha, 655 g de cocaína, 6 g de haxixe, 18 g de ecstasy, dois micropontos de LSD, 2 kg de lança-perfume, além de R$ 49.611,35, dois revólveres e três pistolas. Parte das drogas estava armazenada em dois hotéis da região.

Continuidade

O diretor do Denarc esclareceu que há mais pessoas identificadas e fotografadas. As investigações continuam para localizar os demais suspeitos, entre eles, um ex-militar do Exército que desempenhava o papel de “segurança”. “Vamos combater com toda a firmeza que demanda a situação. Nós atacamos os traficantes, que foram presos, e aqueles que ainda não foram presos, serão. Essa é a nossa tarefa”, completou.

Ao todo, participaram 976 policiais, sendo 480 agentes civis e 496 militares. O policiamento na região ganhou o reforço de 80 policiais militares, além dos 120 que já atuam na área. Segundo o comandante-geral da PM, coronel Nivaldo Cesar Restivo, o reforço é para manter as condições de estabilidade alcançadas no fim da operação.

O secretário da Segurança comentou sobre a importância da intensificação no patrulhamento. “É visível que o policiamento está intensificado”, afirmou Mágino Alves Barbosa Filho. “O reforço, tanto da PM quanto da Guarda Civil Metropolitana, pretende exatamente estabilizar o local e fazer com que o espaço conhecido como Cracolândia, o ‘fluxo’, especificamente, fique livre do tráfico”, acrescentou.

Do Portal do Governo do Estado