Notícias

Telefonia 4G ficará com as grandes teles
13/06/2012

 

As quatro principais operadoras arrematam em leilão licença para operar em todo o país o serviço de quarta geração

 

Vivo, Claro, TIM e Oi pagam, juntas, R$ 2,5 bilhões pelas frequências, 35,7% a mais que preço mínimo

JÚLIA BORBA
DE BRASÍLIA

O governo tentou atrair novos competidores ao mercado brasileiro, mas o leilão de 4G ocorrido ontem na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), em Brasília, foi uma divisão entre as quatro principais operadoras.


Juntas, Claro, Vivo, TIM e Oi pagaram R$ 2,5 bilhões pelas faixas de frequência de 2,5 GHz para cobertura nacional. O valor total ficou 35,7% acima do preço mínimo para as licenças (R$ 1,890 bilhão).


O maior ágio (66%) foi no lote 3, o mais disputado por ser um dos dois de maior capacidade de serviço (20 MHz), além de incluir áreas rurais de alto poder aquisitivo.


A Vivo pagou por ele R$ 1,05 bilhão, após disputa com a Oi, e ganhou também a obrigação de levar serviço de telefonia móvel para áreas do interior de Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Ceará e Piauí, além de Minas Gerais e interior de São Paulo.


A prestação do serviço nas áreas rurais passou a ser uma imposição aos vencedores do 4G porque não houve operador interessado em prestar a telefonia rural na faixa de 450 MHz (megahertz).


A sueca Ainmet, que estava interessada na área rural, desistiu do leilão.


Os demais lotes do 4G tiveram ágio de 34%, 8% e 5%. A Claro, que também comprou lote de maior capacidade, pagou R$ 844,5 milhões, com obrigação de instalar infraestrutura na região Norte, no Maranhão, na Bahia e na Grande São Paulo.


A TIM e a Oi ficaram com subfaixas menos potentes (10 MHz cada uma) e pagaram R$ 340 milhões e R$ 330,8 milhões, respectivamente. Elas terão de atender a área rural do Centro-Oeste, do Paraná, do Rio de Janeiro, de Santa Catarina e do Espírito Santo.


FUNCIONAMENTO 


A implantação do serviço 4G permitirá que as empresas de telecomunicações aprimorem a qualidade dos serviços de voz e banda larga. Estima-se que a velocidade da internet em 4G supere em dez vezes a média da que é obtida atualmente com 3G.


As regras do leilão estabelecem que as sedes da Copa das Confederações estarão cobertas por 4G até 30 de abril de 2013.


As sedes e a subsedes da Copa terão o serviço até 31 de dezembro de 2013.


Os municípios com mais de 100 mil habitantes terão cobertura 4G até 31 de dezembro de 2016.


O leilão continua hoje, a partir das 9h. A Anatel ainda tem 33 envelopes de propostas para pequenas frequências regionais no país para serem abertas. Outras 36 frequências poderão ficar para uma nova rodada.


Até ontem, a agência de telecomunicações havia arrecadado R$ 2,7 bilhões. O preço mínimo do total dos lotes é de R$ 3,85 bilhões.


Em 2007, quando foram leiloadas as faixas de frequência do 3G, o ágio chegou a 273% em alguns lotes e foram arrecadados aproximadamente R$ 5,6 bilhões com a venda das licenças.


Fonte: Folha de S.Paulo/Mercado