Notícias

São Paulo é exemplo no combate ao fumo, a maior causa de morte evitável
29/08/2017

 

Dia Nacional de Combate ao Fumo: Estado tem 99,7% de adesão na Lei Antifumo e programas para ajudar fumante a parar com cigarro

 

Nesta terça-feira (29) é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Diante do desafio que é conscientizar a população sobre os riscos do cigarro, São Paulo fiscaliza com rigor o cumprimento da Lei Antifumo, que completou 8 anos com incríveis 99,7% de adesão nos estabelecimentos vistoriados no Estado desde agosto de 2009.

O levantamento foi realizado pela Secretaria da Saúde e aponta que já foram realizadas mais de 1,7 milhão de inspeções no Estado. Nelas, foram aplicadas 3.854 multas em estabelecimentos comerciais, que combate o tabagismo passivo.

A Lei Antifumo proíbe o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou de qualquer outro produto fumígeno, derivado ou não do tabaco, em locais total ou parcialmente fechados. O impacto causado pelo tabagismo passivo nas pessoas é impressionante.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a OMS, ele é a terceira causa de morte evitável do mundo – a maior causa de morte evitável no mundo é o ato de fumar.

O valor da multa por descumprimento à lei é de R$ 1.253,50, e o valor dobra em caso de reincidência. Na terceira vez, o estabelecimento é interditado por 48 horas, e na quarta o fechamento é por 30 dias. Uma a cada cinco multas aplicadas é fruto de denúncia, que pode ser feita pelo telefone 0800-771-3541.

A lei trouxe resultados imediatos com ganho em saúde pública em São Paulo. Um estudo realizado pelo Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da FMUSP, constatou que multiplicou por três a velocidade com que caíram o número de internações por doença cardiovascular e acidente vascular cerebral após a entrada em vigor da Lei Antifumo no Estado.

Além do rigor na restrição ao uso do cigarro em ambientes, que já traz benefícios por reduzir o número de cigarros fumados e minimizar efeitos causados pelo tabagismo passivo, o Estado mantém também programas para atender quem deseja parar de fumar.

O Governo do Estado oferece programas para quem está decidido a parar de fumar no Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod). Os interessados devem procurar o serviço de Atendimento de Tabagismo, na capital paulista.

A nicotina e as substâncias presentes no cigarro e em derivados são responsáveis por provocar até 50 tipos de doenças, segundo a OMS. Entre as mais graves e mortais estão o câncer e o infarto. Além do evidente risco de morte, consumir tabaco gera um gasto excessivo para o fumante, que além do cigarro ou similar ainda vai ter mais gasto com saúde. Tanto que estudo aponta que parar de fumar rende economia de mais de 2 mil reais anuais.

Para de fumar é uma tarefa difícil, mas ter a real vontade de querer deixar o hábito já é um grande começo. Hoje é um bom dia para tomar essa decisão e celebrar o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Confira algumas dicas que podem ajudar quem deseja parar de fumar em cartilha feita pela Secretaria de Saúde.

Do Portal do Governo do Estado