Notícias

IPT capacita profissionais em curso de combustão industrial
05/09/2017

 

Em sua 31ª edição, curso auxiliou representantes de 12 diferentes setores da indústria brasileira para melhorar eficiência de processos

 

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) finalizou no início de setembro a 31ª edição do já tradicional curso de Combustão Industrial. A turma contou com 60 participantes de 33 empresas diferentes, com participantes 14 estados do Brasil, representando 12 setores da indústria nacional.

Coordenador do curso e pesquisador do Laboratório de Engenharia Térmica do IPT, Renato Vergnhanini afirmou que, desde 1986, os temas tratados nas atividades evoluíram muito, e o curso se mantém atualizado. “Existe a preocupação de refazer a cada ano boa parte do material entregue aos alunos”, explicou Vergnhanini, que citou a atualização do tema da emissão como exemplo.

“Um dos assuntos, por exemplo, que apresenta uma evolução muito grande está relacionado à emissão de poluentes. Antigamente preocupava-se mais com rendimento, consumo de combustível e conservação de energia. Hoje essas preocupações continuam, porém aliadas à questão da emissão”, destacou.

Além da emissão, o curso abordou conceitos teóricos referentes à queima e à poluição atmosférica de combustíveis gasosos, líquidos e sólidos. Também foram tratados aspectos tecnológicos ligados aos equipamentos de combustão. E informações sobre a instrumentação de monitoria e controle do processo e aspectos práticos, advindos da atuação do laboratório no meio industrial, também foram apresentados.

Todos os temas foram aprofundados e impactaram os participantes, mesmo com apenas quatro dias de duração, conforme relatou o especialista em projetos na diretoria de engenharia e projetos da Braskem, Edson Roberto Tavolaro. “Abre os canais, mostra as fontes e explica muitos temas que a gente vislumbra hoje no mercado e não sabe a consistência. Tenho agora um leque maior de alternativas para buscar e apresentar para a Braskem”, elogiou.

Assim como Edson, outros participantes saíram satisfeitos e, agora, pretendem compartilhar os conhecimentos nas indústrias em que atuam. “De acordo com os conhecimentos adquiridos no IPT, vamos melhorar os processos e ganhar em eficiência. Além disso, temos a função de multiplicar esses conhecimentos para o restante da equipe da usina que não teve a oportunidade de participar”, declarou Nayane Miranda, que saiu de Fortaleza (CE) para São Paulo e assistiu às aulas com outros cinco funcionários da companhia Porto do Pecém Geração de Energia.

Além da Braskem e da Porto do Pecém, representantes de Vale S/A, Sabesp, Votorantim, Gerdau e Monsanto, entre outras, participaram da atividade. Entre os setores da indústria mais presentes, os destaques foram o siderúrgico, o de geração de energia e o metalúrgico, com 69% dos alunos.

Do Portal do Governo do Estado