Notícias

Participantes da Hackatona da EMTU são premiados na Suíça
30/09/2017

 

Pela primeira vez, os brasileiros vencem a Olimpíada Internacional de Tecnologia e Inovação (ICC’2017, na sigla em inglês) em Martigny, na Suíça, com o projeto Milênio Bus, o qual agrega tecnologia inovadora ao transporte urbano de passageiros. O trabalho vencedor começou a ser elaborado na primeira Hackatona Metropolitana realizada pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU)e a Concessionária Metra. Ocorrida em março, a maratona desafiou os hackers a criar solução tecnológica para obstáculos
de mobilidade urbana.

Uma das vencedoras da Hackatona, a equipe Top Down, passou a construir o
Milênio Bus no laboratório de inovação da EMTU/Metra, o [E] LAB – xperimentos
em Transportes. O engenheiro de produção Renato Rodrigues, mestrando
da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar, campos de Sorocaba) e Fábien
Geovani de Oliveira, aluno de engenharia de controle e automação da Universidade Federal de Itajubá (MG), venceram a competição internacional que reuniu 40 pesquisadores do mundo.

O engenheiro de controle e automação Marcel Ogando também integra a equipe Top Down, que continua a desenvolver a tecnologia no [E] LAB para tornar
possível o pagamento digital da tarifa de transporte, fornecer informações ao passageiro (saber em tempo real se o coletivo está lotado ou não) e gerar dados (Big Data) para as empresas de transporte. “Queremos fazer tudo pelo celular”, explicou Rodrigues, paulista de Pilar do Sul, em relação às possibilidades do invento, durante a Hackatona.

Hardware + aplicativo – Por um aplicativo de celular, o passageiro poderá
comprar créditos de transporte (pagar tarifa), obter dados sobre os ônibus (evitar lotação) e compartilhar as informações. Isso será possível com o uso de um sensor (hardware desenvolvido pela equipe) instalado no coletivo para registrar o número de pessoas que entra no veículo e das que saem dele. “Queremos resolver o problema de forma simples, mas marcante, que gere
resultados aos usuários”, afirmou Oliveira, mineiro de Ouro Fino, na Hackatona. Mais informações do projeto estão disponíveis em https://goo.gl/GBqc3q.

O grupo instalou protótipos dos sensores em um dos veículos da Metra. Ele está em teste no Corredor ABD, operado pela empresa e gerenciado pela EMTU, informa a assessoria de imprensa da EMTU. Os esforços tecnológicos e a defesa do projeto em outro idioma renderam ao grupo a inédita conquista e um cheque de 5 mil francos suíços, equivalentes a R$ 18 mil.

Claudeci Martins
Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial

DOE - Seção I, p. I