Notícias

SP já é o segundo maior produtor de petróleo do Brasil
4/10/2017

 

Estado era vice-líder na produção de gás e, agora, com produção diária de 344 mil barris de petróleo, ultrapassou o Espírito Santo

 

Pela primeira vez na história o Estado de São Paulo chega ao segundo lugar no ranking nacional de produção de petróleo, segundo o Sumário Executivo de Petróleo e Gás divulgado recentemente no site da Secretaria de Energia e Mineração.

Com produção de 344 mil barris de petróleo por dia durante o último mês de julho, São Paulo ultrapassou o Espírito Santo, que produziu 295 mil barris, e ficou atrás apenas do Rio de Janeiro, com volume de 1,8 milhão de barris/dia.

“Em 2010, nossa produção era de 14 mil barris de petróleo por dia e ocupávamos apenas a sétima posição nacional. Com a descoberta do pré-sal na Bacia de Santos e início da exploração e produção, São Paulo se tornou um produtor relevante e as estimativas são positivas, o que consolidará o Estado como um importante produtor mundial”, destacou o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles.

Atualmente, três campos são responsáveis por 98% de toda a produção paulista. Sapinhoá representa 72% do petróleo retirado dos poços paulistas, seguido por Lapa, com 16%, ambos no pré-sal, e Baúna, com 10%, localizado no pós-sal.

Os Estados do Amazonas e da Bahia completam a lista dos cinco maiores produtores de petróleo e gás do país, com produção de 110,8 mil e 79,2 mil barris de óleo equivalente por dia, respectivamente.

“Nossa expectativa é de que São Paulo ultrapasse 1 milhão de barris por dia e se mantenha como o segundo maior produtor de petróleo do Brasil”, explica o subsecretário de Petróleo e Gás do Governo do Estado, Dirceu Abrahão.

Desde o início de 2015, o Estado é o segundo maior produtor de gás natural do país, com produção de 19 milhões de metros cúbicos/dia. Os royalties provenientes da produção petrolífera cresceram fortemente nos últimos 10 anos e atualmente representam uma parcela importante da arrecadação dos municípios confrontantes aos campos produtores.

Os dez municípios que mais recebem royalties no Estado são: Ilhabela, São Sebastião, Caraguatatuba, Cubatão, Guararema, Bertioga, Ilha Comprida, Iguape, Praia Grande e São Vicente.

A Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo monitora a exploração e produção de petróleo e gás natural e também a arrecadação de royalties e participações especiais. A Pasta acompanha, ainda, a produção de petróleo e seus derivados. As informações detalhadas estão disponíveis no site www.energia.sp.gov.br.

Cadeia produtiva de P&G

Devido a presença de quatro refinarias no Estado, que juntas são capazes de processar mais de 918 mil barris de petróleo por dia, aproximadamente 38% da capacidade de refino nacional, o Estado responde pela maior parte da carga processada do país e pela produção dos principais derivados de petróleo, como gasolina, diesel, óleo combustível, GLP – gás liquefeito de petróleo, querosene de aviação, coque e nafta, que abastecem o mercado nacional.

Toda essa produção conta com uma extensa cadeia de fornecedores em São Paulo, responsável por mais de 40% da indústria nacional de fabricantes de equipamentos e prestadores de serviços para o setor.

Do Portal do Governo