Notícias

Governo fecha parceria para criação de PPPs de iluminação pública com criptomoedas
14/12/2017

 

Protocolo de intenções prevê desenvolvimento de modelos de iluminação para municípios com financiamento privado e por moedas virtuais

 

O governo do Estado de São Paulo assinou nesta quinta-feira (14) uma parceria com a empresa norte-americana CG/LA Infrastructure para realização do Ilumina SP. A proposta é impulsionar a modernização da iluminação pública nas cidades com estudos de viabilidade atraentes à iniciativa privada. Mas que também gerem receita aos municípios, reduza os custos e melhorem o serviço para população.

“Sabemos que existem muitas demandas de PPP em iluminação. Mas fazer PPP não é fácil: requer um conjunto de estudos, de engenharia, tecnologia e principalmente como adaptar os postes atuais e a eletrificação para um sistema de smart city”, comentou Karla Bertocco, subsecretária de parcerias e inovação.

“Uma grande preocupação do Estado de São Paulo é que as diferentes cidades que implementarem a PPP façam com a mesma linguagem ou com linguagem compatíveis. Porque quando se tem esse conceito de cidades inteligentes, que inclui além de energia, o wifi e também sistema de monitoramento por câmera, se cada um fizer de uma maneira, acabamos perdendo uma oportunidade de ter uma informação integrada e com isso melhorar os serviços públicos, inclusive do Estado, como a segurança pública e gestão de congestionamento”, explicou.

A grande novidade é que o projeto será financiado em parte de solução em blockchain e criptomoedas. E todo pago pela empresa CG/LA Infrastructure, que vai financiar e doar os estudos para o Estado, que por fim oferecerá consultoria gratuita às prefeituras. Serão investidos até U$ 1 milhão na contratação de serviços técnicos locais nos municípios para identificar necessidades de infraestrutura e de padronização de documentos licitatórios. Assim será criado um modelo público de referência.

“Vamos fazer um conjunto de estudos que inclui todo trabalho de engenharia, infraestrutura existente, tecnologia viável, toda parte financeira e entregar para os municípios que quiserem implantar”, descreveu Bertocco.

Atualmente é de responsabilidade dos municípios instalar e manter a iluminação pública. Por falta de recursos, muitas vezes, a prestação do serviço é ineficiente. E isso gera problemas de segurança e gastos elevados pelo consumo de energia elétrica. Para combater o problema, o governo vai apoiar os municípios na estruturação de soluções em iluminação pública.

Serão escolhidos municípios acima de 100 mil habitantes que estejam aptos a receber apoio para os estudos. Essas cidades servirão de referência para uma espécie de cartilha de como fazer parceria com a iniciativa privada na área de iluminação. A ideia é que os municípios tenham em mãos um formato padronizado de licitação e possam contratar, individualmente, ou em consórcio com outras cidades, dando escala aos projetos. Em 90 dias serão anunciados os municípios escolhidos e um plano de trabalho para a confecção dos modelos de iluminação pública. A conclusão deverá durar de seis a oito meses.

Uso de criptomoedas BuildCoin

Pela primeira vez o governo se abre ao estudo da utilização de criptomoedas, e inicia no mercado da infraestrutura. Dentre as mais de 1300 iniciativas, a BuildCoin – criptomoeda utilizada, busca criar um ativo digital específico para a área de infraestrutura, daí o nome da moeda. Está sendo desenvolvida pela BuildCoin Foundation, entidade sem fins lucrativos a ser estabelecida na Suíça que pretende captar em 2018 aproximadamente USD 59,4 milhões para as atividades de desenvolvimento das soluções, financiamento de obras e construção de um meio de pagamento para o setor. Com isso buscam melhorar a integração do mercado de construção civil, reduzir os custos transacionais, garantir o uso de contratos inteligentes entre os elos da cadeia e promover um fundo de financiamento para as empreitadas registradas na plataforma sem a cobrança de juros.

Do Portal do Governo do Estado