Notícias

Estado investe R$ 25 milhões para construir 1.248 moradias na capital
06/02/2018

 

Unidades habitacionais beneficiarão mais de 4 mil pessoas, em programa que tem parceria entre os governos do Estado, União e prefeitura

 

O governador Geraldo Alckmin autorizou, nesta terça-feira (6), a construção de 1.248 novas moradias na capital paulista. Assim como as moradias do interior anunciadas horas antes, os empreendimentos são resultado de parceria entre os governos estadual, municipal e federal.

“Iniciamos a manhã liberando unidades habitacionais para a população de baixa renda. Junto com o governador Geraldo Alckmin foram mais de 4 mil unidades, e aqui na Prefeitura liberamos mais de mil unidades habitacionais”, comentou o secretário de habitação Nelson Baeta, em evento realizado na sede da prefeitura com o prefeito João Doria.

Para a capital paulista, a prefeitura fará aporte de R$ 18 milhões, enquanto o Estado investirá R$ 25,2 milhões, por meio da Agência Casa Paulista; a União destinará cerca de R$ 119,8 milhões de recursos do Minha Casa, Minha Vida, dentro das regras do FAR e conforme o porte de cada município. Ao todo, serão mais de R$ 160 milhões investidos nas novas unidades habitacionais.

“Cerca de R$ 300 milhões de investimentos nesses empreendimentos do dia de hoje. Geração de emprego, moradia para quem mais precisa. Os contratos já estão sendo assinados e as obras serão iniciadas de imediato. Logo depois do carnaval esses canteiros já estarão implantados e estaremos avançando ainda mais em habitação, para benefício da população de São Paulo”, completou Baeta.

As unidades da cidade de São Paulo estão divididas em: Conjunto Habitacional Manuel Bueno I (300 uhs), Conjunto Habitacional Manuel Bueno II (300 uhs), Residencial Terreno A (194 uhs), Residencial Campo Pitangueiras (89 uhs), Residencial Osório C (215 uhs) e Residencial Osório D (150 uhs).

Todos os apartamentos serão destinados a famílias com renda mensal de até R$ 1.800, de acordo com o programa federal. As obras serão contratadas pelo agente financeiro do programa, Caixa Econômica Federal.

Do Portal do Governo do Estado