Notícias

HC realiza reformas e adquire equipamentos de ponta
19/07/2012

 

Com investimentos de R$ 180 milhões, HC se consolida como o maior complexo hospitalar da América Latina

 

Com 68 anos completados em abril, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP) é referência no tratamento de doenças de alta complexidade. Com investimento para os próximos anos de R$ 180 milhões do Governo do Estado de São Paulo, o HC aprimora seus diversos setores e se consolida como o maior complexo hospitalar da América Latina.


Com os recursos estaduais, o HC realiza reformas para ampliação e melhoria do atendimento aos pacientes e investe na aquisição de aparelhos de ponta. O berçário está sendo reformado e o Prédio dos Ambulatórios passa por uma reestruturação. A modernização do complexo ganhou o reforço de equipamentos como Espect CT, para pesquisas pré-clínicas, e ressonâncias magnéticas.


Incor


Entre os investimentos, vale destacar o pacote de melhorias para o Instituto do Coração (Incor), referência nacional e internacional em cardiologia de alta complexidade. A Secretaria Estadual da Saúde investe na construção de um novo prédio que irá modernizar o setor de atendimento de emergência.


Outra obra importante, o Bloco 3 do Incor permitirá a atualização tecnológica e aumento da estrutura da Unidade Clínica de Emergência, Central de Material Esterilizado, Unidade de Internação do Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista, Hospital-Dia e Central de Endoscopia Digestiva e Respiratória.


Tecnologia


Os investimentos do Governo do Estado de São Paulo refletem também no setor de pesquisa e diagnóstico do HC. No primeiro semestre de 2012, o complexo ganhou novas instalações do Serviço de Medicina Nuclear do Instituto de Radiologia (InRad-HCFMUSP). 


O hospital passa a ter também um dos mais modernos centros de pesquisa em imagem molecular do Brasil, composto por oito laboratórios e um biotério para armazenamento de pequenos animais. As pesquisas permitirão trazer contribuições não apenas nas áreas de oncologia, como também em outras especialidades como a cardiologia e neuropsiquiatria.


Do Portal do Governo do Estado