Notícias

Bienal do Livro anuncia programação
01/08/2012

 

A 22.ª edição do evento começa dia 9 e vai até 19 de agosto na cidade de São Paulo

 

31 de julho de 2012 | 15h 57


Filipe Araujo/AE


Pelé participará de mesa na Bienal do LivroDesde a semana passada, São Paulo está sendo preparada para sua 22.ª Bienal Internacional do Livro, que começa dia 9 e vai até 19 de agosto. Uma máquina instalada na Praça da República convidou o público a trocar livros encostados em casa por novos exemplares. Saldo: 8.885 obras trocadas em uma semana. A partir de amanhã e durante todo o mês, oito restaurantes da cidade que já publicaram livros ou cujos chefs são autores vão oferecer cardápio feito especialmente para o evento. Quem escolher o tal prato ganha um par de ingressos para a feira.


São esperadas 800 mil pessoas nos dez dias - segundo a organização, em 2010 a Bienal recebeu 743 mil visitantes. Cerca de 120 mil crianças serão vistas correndo pelos corredores e terão, em alguns casos, seu primeiro contato com uma quantidade grande de livros. Numa área de 60 mil m², 480 expositores vão mostrar a produção de cerca de 1.100 selos editorias.


O investimento total é de R$ 32 milhões - R$ 2 milhões são para a programação cultural. Os ingressos custam R$ 12. Para facilitar a chegada ao Anhembi, haverá transporte gratuito das estações Tietê e, como novidade, a Barra Funda.


Essas e outras informações, bem como os autores convidados, foram apresentadas hoje em São Paulo pela Câmara Brasileira do Livro. “A Bienal é o maior encontro da América Latina dos negócios com a cultura”, disse Karine Pansa, presidente da entidade. Por isso, haverá espaço para debater desde a formação de leitores e de professores leitores, passando pela produção de um e-book, pela internacionalização do mercado editorial brasileiro até chegar às conversas entre leitores e autores, ilustradores, músicos, cineastas, dramaturgos, chefs de cozinha, pesquisadores, editores, livreiros, jornalistas.


“Por dentro de cada livro existe uma ideia e um pensamento diferente. A Bienal é um caldeirão de diversidades e isso é essencial para a preservação do ser humano e do mundo”, comentou o curador Antonio Carlos Sartini. Pensando nisso, haverá conversa para todos os gostos e idades e sobre os mais variados temas.


O momento de maior histeria deve ser promovido, dia 11, pelas musas teen Cecily Von Ziegezar, americana e autora das séries Gossip Girl e It Girl, a carioca Thalita Rebouças, que já vendeu mais de 1,3 milhão de exemplares, e a mineira Paula Pimenta, que vem trilhando o mesmo caminho. Elas são convidadas do espaço jovem # Você + Quem = ? e o agito deve continuar no estande de suas editoras, com centenas de meninas atrás de um autógrafo.


Vampiros e lobisomens estarão em pauta dia 12. André Vianco, Sarah Bakley-Catwright, Martha Argel e Giulia Moon debatem esse tipo de literatura.


Pelé e Mauricio de Sousa estarão no Salão de Ideias dia 18 para falar sobre o tema Um Personagem em Quadrinhos.


Zé Celso Martinez Corrêa e Renato Borghi participam da mesa A Garçonnière de Oswald de Andrade dia 15. Oswald e outros modernistas serão lembrados em vários momentos da feira, já que ela presta homenagem aos 90 anos da Semana de 22. Jorge Amado e Nelson Rodrigues também serão lembrados em seus centenários de nascimento.


Lygia Fagundes Telles não está entre os homenageados oficiais, mas ganhará a sua festa. A data ainda não foi fechada, mas a ideia é que atores e sua neta Lúcia leiam trechos de sua obra.


Para falar sobre literatura negra, dia 12, foram convidados Luis da Silva (Cuti) e José Nabor. Sobre cultura árabe, dia 14, Mamede Mustafá Jarouche e Michel Sleiman E sobre periferia, Ferréz, Sérgio Vaz e Paulo Lins.


Relações familiares também estarão em debate. Frank Calabrese Jr., filho de mafioso que terá seu Operação Segredos de Família lançado na Bienal pela Zahar, conversa com Toni Venturi no dia 17.


Fonte: Estadão.com.br/Cultura